Como o NHS tenta ser mais eficiente?

{T:CONT_TITULO}

Não é só o sistema de saúde do Reino Unido que precisa estudar a fundo formas de aumentar a eficiência, para atender cada vez melhor a crescente demanda. Mas certamente podemos aprender com o caminho que eles estão perseguindo para equilibrar o trinômio: demanda, eficiência e financiamento.

O relatório de produtividade do Serviço Nacional de Saúde do Reino Unidos (NHS – National Health Service), divulgado em junho de 2015, reportou que, entre 2013 e 2014, os hospitais gastaram £72 bilhões com assistência e destes, £45 bilhões foram gastos com força de trabalho (63% dos custos).

Cientes da falta de métrica para mensurar a eficiência, um grupo de 22 hospitais – dentre os mais de 1.200 do NHS – decidiu desenvolvê-la. Como? Colhendo os dados de cada instituição e promovendo comparações entre eles – como ferramentas de BI são capazes de fazer, por exemplo. O intuito foi identificar oportunidades para melhorar a produtividade. O projeto foi batizado de Adjusted Treatment Index (ATI).

Lideranças de diferentes áreas se engajaram no ATI como diretores financeiros, de enfermagem, chefes da farmácia hospitalar, e profissionais do Estado.

As mudanças e implementações ainda estão em processo, mas os resultados iniciais mostram que a maioria dos hospitais possuem boas práticas em diversos departamentos, mas todos têm aspectos a serem melhorados.

As principais áreas foco com vistas a melhorar a eficiência são: força de trabalho, farmácia hospitalar, Suprimentos/Compras (Procurement) e Estates Management. Para cada uma dessas áreas foram coletadas informações dos 22 hospitais a fim de entender as variações entre elas e as boas práticas a serem compartilhadas.

De acordo com as variações encontradas no que se refere aos pagamentos de colaboradores e desempenho, por exemplo, estimou-se a possibilidade de reduzir pelo menos £400 milhões nesta área.

Para a gestão de medicamentos, por exemplo, o ATI chegou em quatro princípios de otimização.

Os 22 hospitais gastam, em média, £1 bilhão com instalações (facilities) todo ano. Tudo indica que eles conseguem economizar aproximadamente 14.5%, o que representaria uma economia de £150 milhões por ano.

Outras possibilidades de economia encontradas foram:

Limpeza: £10 milhões

Energia: £12 milhões

Construção & Engenharia: £12 milhões

Lavanderia: £4 milhões

Desperdício: £3 milhões

Água & Esgoto: £1.7 milhões

Fonte: Saúde Web, 27/07/0215.

Tag(s): Notícias

Relacionadas

AVANÇOS DA TELEMEDICINA:COMO MOTIVAR OS PACIENTES PARA A MANUTENÇÃO DO TRATAMENTO?

+

Como os novos protocolos de segurança irão impactar na produtividade das clínicas?

+

Gestão das clínicas em tempos de COVID-19

Gestão das clínicas em tempos de COVID-19

+

O impacto da LGPD na Oftalmologia

Você conhece a Lei Geral de Proteção de Dados - LGPD (Lei nº 13.709/18)? Você sabe o que muda na sua empresa por conta dessa legislação?

+

Saúde suplementar e a interface com os convênios: o que mudou?

Saúde suplementar e a interface com os convênios: o que mudou?

+

Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais entra em vigor

A partir de agora, as empresas deverão adotar uma série de medidas para evitar que as pessoas tenham seus dados vazados.

+

Congresso SBAO 2021 será em Salvador no mês de maio.

Congresso SBAO 2021 será em Salvador no mês de maio. Saiba mais...

+

Lives SBAO - Como os novos protocolos de segurança irão impactar na produtividade das clínicas?

Como manter a sustentabilidade da empresa com as novas regras de segurança? Ajuste no fluxo de pacientes e espaço para o modelo pós pandemia Rotinas para...

+

Uma vitória histórica

Vencemos os optometristas no STF e garantimos a manutenção dos Decretos nº 20.931 e nº24.492, de 1932 e 1934, respectivamente

+

Lives SBAO - AVANÇOS DA TELEMEDICINA:COMO MOTIVAR OS PACIENTES PARA A MANUTENÇÃO DO TRATAMENTO?

Quais os limites e vantagens após 60 dias usando a telemedicina? Como está sendo o processo de pagamento? Qual o custo e o grau de satisfação dos pacientes?

+

Lives SBAO - Saúde suplementar e a interface com os convênios: o que mudou?

As operadoras de saúde irão propor mudanças na forma de remuneração? Preciso migrar para um novo modelo de negócio sem intermediários? Novas modalidades...

+

Lives SBAO - Gestão das Clínicas em Tempos de Covid

Gestão das clínicas em tempos de COVID-19 Planejamento Financeiro, Gestão de Custos e Aspectos Tributários

+

Praia do Flamengo, 66B sala 401 - Flamengo - Rio de Janeiro - RJ
Cep: 22210-903 Tel: 21 2285-6052


Copyright © 2014 - SBAO - Sociedade Brasileira de Administração em Oftalmologia